Você está aqui: Página Inicial / Sobre a Câmara / Cruzmaltina

Cruzmaltina

por cru — última modificação 09/02/2017 11h55

    HISTÓRICO DO MUNICÍPIO DE CRUZMALTINA

    CRIAÇÃO DO MUNICÍPIO

O Município de Cruzmaltina foi criado através da Lei Estadual nº. 11.222 de 13 de Dezembro de 1995, sendo desmembrado do Município de Faxinal.

A definição de Município segundo Meirelles (1999, p. 31):

o município (do latim municipium, antiga designação romana) é uma entidade da divisão administrativa estatal (divisão territorial de determinados países). Trata-se de uma circunscrição territorial dotada de personalidade jurídica e com certa autonomia administrativa, constituindo-se de certos órgãos político-administrativos. No caso do Brasil, o município é composto pela Prefeitura e pela câmara municipal, sendo considerado um terceiro ente federativo.

Sua instalação deu-se no dia 01 de Janeiro de 1997, data em que também tomou posse o seu primeiro Prefeito, o Senhor José Carlos Pastori.


ORIGEM HISTÓRICA

O Município de Cruzmaltina foi emancipado recentemente, em 13 de Dezembro de 1995, porém, desde o século XVII já se tem indícios de ocupação na região, por padres jesuítas.

Segundo Ferreira (2006, pg. 98), em 1956 foi construída a primeira capela da localidade, de madeira lascada como era a maioria das casas na região, característica essa que fez com que o Município fosse conhecido popularmente e até hoje chamado, por alguns, de Pau-Lascado.

O pequeno lugarejo não possuía escolas, o que fez com que um dos seus moradores, o Senhor Dionísio Lopes, pioneiro do lugar, cedesse um cômodo de sua casa para servir de escola para a alfabetização das crianças.

Com a chegada do jovem Padre Gualter (in memorian) no Município, houve várias modificações importantes para o ainda distrito de Cruzmaltina, um grande exemplo disso, foi a construção do Colégio que ganhou o seu nome, Colégio Estadual Padre Gualter Farias Negrão. Seria impossível falar de Cruzmaltina sem mencionar o nome deste Padre.

São também pioneiros que contribuíram muito para a melhoria da cidade, tais como: os senhores, Ferdinando Trizotti, Milton Fogaça, Valdemar Ermani, Lucio de Freitas e outros.

Em 1977, ainda Distrito do Município de Faxinal, iniciou-se a construção da Igreja matriz em alvenaria, obra que somente foi concluída no ano de 1979 que se deu também por iniciativa do Padre Gualter Farias Negrão.


NOME DO MUNICÍPIO

A primeira denominação do Município foi Mamoré, nome de origem indígena, que significa “águas agitadas”. Em seguida ganhou o nome de Jardim Flórida em virtude da grande diversidade de café, matas e flores que existia no local.

Enfim, o Município passou a ser chamado de Cruzmaltina, que segundo Ferreira (2006 p. 98):

etimologia. Palavra formada pelos termos “cruz” e “malta”, acrescido do sufixo nominativo “ina”. O termo “cruz” origina-se do latim “crux crucis”... antigo instrumento de suplício. O termo “malta” vem do fenício “melita”, significando refúgio, através do grego “melite”, pelo latim “melita”. O sufixo nominativo “ina” vem do latim “inu”, e designa origem, semelhança, natureza.

Nome sugerido também pelo Padre Gualter Farias Negrão, em homenagem a alguns padres que vieram da Ilha de Malta, na Itália, para atender à comunidade e trouxeram com eles duas cruzes de Malta, colocadas na entrada da cidade e em frente à Igreja Matriz.


DATAS COMEMORATIVAS

Como datas comemorativas o Município tem o dia 12 de Outubro em comemoração ao dia da Padroeira da Cidade, Nossa Senhora Aparecida e o dia 13 de Dezembro, em comemoração ao aniversário da cidade.


LOCALIZAÇÃO GEOGRÁFICA

Situado na região Sul do Brasil, Mesorregião Norte Central Paranaense Micro Região Faxinal. Localiza-se a uma latitude 24°00'46" sul e a uma longitude 51°27'32" oeste, estando a uma altitude de 690 metros. O município de Cruzmaltina faz limites com os municípios de Faxinal, Grandes Rios, Lidianópolis e Borrazópolis.


EXTENSÃO TERRITORIAL

O Município conta com 45.980 hectares de extensão, sendo 30.945 deles área rural. Desse total, 9.133 hectares são utilizados no cultivo de lavouras. As áreas de matas e florestas somam 2.523 hectares, e por fim, a área utilizada para pastagens, ou seja, para a criação de animais é de 10.381 hectares. O município conta com aproximadamente 380 quilômetros de estradas rurais. Conforme sua ocupação, os municípios podem ser considerados: rurais, urbanos ou mistos, ou seja, se a maior ocupação da área do Município for à zona rural, ele será considerado rural, se a maior parte da população residir na área urbana, logo este será considerado urbano e se a população for distribuída de forma equilibrada e até certo ponto uniforme, será considerado misto.

No caso do Município de Cruzmaltina, pode-se dizer que ele é um Município rural já que a maior parte de sua população reside na zona rural.


POPULAÇÃO

Segundo o Censo de 2001, a população é de, aproximadamente, 3.459 (três mil quatrocentos e cinqüenta e nove) habitantes, desses, 2.279 (dois mil, duzentos e setenta e nove) são moradores da zona rural, representando um percentual de 65,89%, e 1.180 (um mil, cento e oitenta) são moradoras da zona urbana, representando um percentual de 34,11% (Gráfico 1). Logo se percebe que este é um município essencialmente agrícola.

A taxa média de crescimento anual da população é de 1,81%. A densidade demográfica da população é de 10,20 hab/km2.

O total de domicílios do Município soma 1.204, desse total, 400 estabelecimentos estão localizados na área urbana e o restante de 803, está situado na zona rural, apresentando um grau de urbanização de 34,14%.

O índice de desenvolvimento humano do Município é de 0,678.


DADOS ECONÔMICOS

Segundo o censo de 2006, o Município conta com 30.945 hectares de área agropecuária, reforçando a idéia de que é um Município de economia essencialmente agrícola. Não possui grandes comércios e nem grandes indústrias. Segundo a SEDU/PARANACIDADE (Secretaria de Desenvolvimento Urbano), este município conta apenas com 2 (duas) pequenas indústrias, 13 (treze) comércios varejistas, 2 (dois) comércios atacadistas e 5 (cinco) empresas do setor de serviços.

A maior parte da população reside na zona rural, retirando o necessário para sua subsistência da agricultura, produzindo em média 31.270 toneladas de soja, 8.375 toneladas de milho, 3.350 toneladas de aveia, anualmente.

Atualmente uma das culturas que vem se destacando no Município é o cultivo de tomate em estufas, o que está gerando uma renda razoável para os agricultores do local.

O Município conta com uma área de 23,5 hectares, disponíveis para o cultivo de tomate, onde estão instaladas 112 estufas. Sendo que em cada uma delas tem uma capacidade de 369.600 pés de tomate, que produzem semestralmente uma média de 184.400 caixas de tomate, o que equivale a um total de 2.956 toneladas do produto a cada seis meses.

Segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística e o Banco Central do Brasil, o Produto Interno Bruto do Município deve crescer em média 4,40% ao ano, tendo sido projetado um PIB de R$ 40.512.000,00 (quarenta milhões, quinhentos e doze mil reais) para o ano de 2009, segundo projeto de Lei de Diretrizes Orçamentárias para o exercício de 2009 que está em discussão na Câmara Municipal.


ÁREA POLÍTICO ADMINISTRATIVA

Descrição da Entidade

Uma prefeitura é o prédio sede do Poder Executivo de um Município. Nesse prédio geralmente estão localizados os departamentos que são responsáveis pela organização do Município.

Segundo (www.wikipedia.org) prefeitura pode ser assim discriminada:

uma prefeitura, no Brasil, é a sede do poder executivo do município (semelhante à Câmara Municipal, em Portugal). Esta é comandada por um prefeito e dividida em secretarias de governo, como educação, saúde ou meio ambiente. O termo prefeitura também pode designar o prédio onde está instalada a sede do governo municipal, também chamado de paço municipal onde geralmente fica o gabinete do prefeito.

A Prefeitura Municipal de Cruzmaltina, é um órgão público do Poder Executivo Municipal, está situada na Avenida Padre Gualter Farias Negrão, número 40, está registrada no Ministério da Fazendo com o CNPJ sob número 01.615.393/0001-00.


ESTRUTURA ORGANIZACIONAL

Para Stoner (1992, p. 230), “estrutura organizacional é a forma pela quais as atividades de uma organização são divididas, organizadas e coordenadas”.

Já para Djalma (2002, p. 84), “organização da empresa é a ordenação e o agrupamento de atividades e recursos, visando ao alcance de objetivos e resultados estabelecidos”.

Para alcançar a esses objetivos, foi criada a lei 013/1997, que define a organização básica da Prefeitura Municipal que é constituída dos seguintes órgãos:

          1. Órgãos de Assistência Imediata:

  • Gabinete do Prefeito.

          1. Órgãos de Assessoramento:

  • Assessoria jurídica.

  • Assessoria de Planejamento.

          1. Órgãos da Administração em geral:

  • Departamento de Administração.

  • Departamento de Finanças.

          1. Órgãos da Administração Específica:

  • Departamento de Obras, Viação e Serviços Urbanos.

  • Departamento de Saúde.

  • Departamento de Ação Social.

  • Departamento de Educação, Cultura e Esportes.

  • Departamento de Agricultura e Meio Ambiente. (Figura 2)


PREFEITOS

Prefeito é um representante do povo escolhido através de uma eleição para exercer um mandato de quatro anos à frente de um Município, tomando as devidas providências e respondendo legalmente por ele durante determinado período de tempo.

O mandato de um prefeito é denominado de gestão.

Como o Município de Cruzmaltina é recém criado, foi administrado apenas por dois prefeitos em três mandatos.

Teve seu primeiro prefeito, Senhor José Carlos Pastori, eleito nas eleições do dia três de outubro do ano de 1996, com 1.239 votos, tomando posse em primeiro de Janeiro de 1997 no prédio da Prefeitura Municipal.

Foi responsável pela construção da escola municipal, do clube social, do ginásio de esportes, responsável também pela aquisição de maquinários, entre outras conquistas.

O mesmo foi reeleito nas eleições do ano de 2000, com um total de 1.454 votos, representando um percentual de 58,32% dos votos válidos, tomando posse de seu mandato no dia primeiro de janeiro de 2001.

Para o terceiro mandato do Município de Cruzmaltina foi eleito o Senhor Mauricio Bueno de Camargo, eleito com 1.235 votos, representando um total de 52% dos votos válidos, tomando posse no dia primeiro de janeiro de 2005.

Responsável pela construção da biblioteca municipal, da capela mortuária, criação da guarda municipal, aumento da frota municipal, entre outras conquistas.


VEREADORES

Vereador é um agente político, representante do povo dentro do Poder legislativo, sua função principal é legislar, ou seja, votar e criar leis, fiscalizar a atuação do Prefeito bem como de seus secretários.

É escolhido também através de eleição pelo povo para exercer um mandato por um período de quatro anos junto à Câmara Municipal.

A constituição Federal estabelece que o número de vereadores é calculado segundo a população de cada Município, Cruzmaltina possui um número de 9 (nove) vereadores, que também segundo o artigo 29, inciso IV, alínea “a”, da Constituição Federal é o número mínimo.

Para o primeiro mando foram eleitos os seguintes vereadores: Maria Cristina Pastori Ávila, Marina Garcia dos Santos, Pedro Cavalheiro de Meira, Roberto Franco de Lima, José Paulo Grégio, João Moya Martins, José Maria dos Santos, Joaquim Simões Pato, João Maria Trizotti.

Para o segundo mandato foram reeleitos os vereadores: João Moya Martins, Roberto Franco de Lima, José Paulo Grégio, Maria Cristina Pastori Ávila, José Maria dos Santos.

E foram eleitos também os vereadores: Inácio Rios Adami, Ivone Aparecida de Souza Neca, João Antônio Ferreira de Castro, Marineide Trizotti.

Enfim para o terceiro mandato foram reeleitos os vereadores: José Maria dos Santos, Maria Cristina Pastori Ávila, Marineide Trizotti (in memorian).

Foram eleitos ainda os vereadores: Dorvalina Aparecida Bis Porfírio, Francisco Alves de Souza Moreira, Helio Medrado de Jesus, Pedro Casavechia, Romilda Vaccari Guerra, Vilson Ferreira de Castro.

No ano de 2005, no dia 16 de Junho, falece a vereadora Marineide Trizotti, eleita, com o maior número de votos para o mandato, num total de 226 (duzentos e vinte e seis) e para seu cargo foi empossado o vereador Marcos Paulo Grégio.


Fonte: TCC Angelita Aparecida Medrado